quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Paixão x Amor


Os que amam devem invejar os que se apaixonam.
Tenho pra mim que o amor é um sentimento superestimado. Não é tudo isso. Os romances, filmes e canções nos levam a acreditar que o amor é o sentimento a ser almejado, mas sejamos francos: os nossos melhores momentos são os apaixonados.
Quando apaixonados os dias ficam mais azuis, as nuvens mais brancas, os jardins mais verdes, porque tudo ganha um colorido mais intenso.
Quando apaixonados as canções fazem sentido mesmo quando não há sentido algum.
Enquanto o amor acomoda, a paixão faz com que se deseje cada vez mais.
Quando apaixonados até acordar pela manhã é mais prazeroso na certeza de até o fim do dia encontrar quem nos desperta a paixão.
O sorriso do apaixonado é mais bonito. Sua inspiração é latente. Seu encantamento é constante. Sua alegria é presente e suas palavras mais doces.
À bem da verdade, acredito que o amor que se escreve, se canta e se louva é, na verdade, a paixão. Essa sim é arrebatadora.
A paixão inspira muito mais que o amor, ou os melhores dias de um relacionamento não são os primeiros? Aqueles dias em que um simples tocar de corpos faz sair faísca, em que um beijo é pouco e muitos beijos ainda são poucos.
Apaixonar-se é querer quem já se tem, para que tendo, se queira ainda mais.
É sorrir sem maiores motivos. É sorrir porque sente paixão.
A paixão faz sonhar (e às vezes sonhar acordado mesmo).
Aquela cara boba de quem viu passarinho azul não existe nos rostos de quem ama. Ela é exclusiva dos apaixonados.
Quem ama quer a estabilidade de um relacionamento que muitas vezes dura mais do que deveria durar, já os que se apaixonam lançam-se na incerteza do que será, mais preocupados com o bom de agora.
E por favor, não reduzamos a paixão a um estágio preliminar do amor. Eles andam separados.
A paixão é legal, diverte. Se ela evolui, ela não poderia ser pra se tornar amor. O amor, por sua vez, é manso, é suave... companheiro. Aliás, é bem possível amar e se apaixonar. Um é um, outro é outro. E olha que são vários os que amam, mas não sabem mais o que é paixão. Triste...

7 comentários:

Bernardo Penna disse...

Havia tempo que eu não comentava no blog. Mas esse texto não podia passar sem um comentário. Muito bom mesmo. Concordo absolutamente. Parabéns.
Abraço.

William R Grilli Gama disse...

Bernardo, é sempre uma satisfação e um privilégio quando você comenta algo por aqui... me envaideço com elogios, mas mais ainda quando é de uma opinião que respeito.
Fico feliz...
Abraço

Rosilene disse...

Dos (seus) textos que li, esse foi um dos que mais gostei! "Aquela cara boba de quem viu passarinho azul..." me fez rir... e admitir que realmente, é verdade!
Tá de parabéns!

rafael disse...

Em tempo, venho por meio dessas simples palavras, te elogiar, pois esse texto se encontra a altura, é um prestígio ler-lo, a frase que mais despertou-me sem sombras de dúvidas foi essa ...” Apaixonar-se é querer quem já se tem, para que tendo, se queira ainda mais.”..... Um forte abraço professor ....até as próximas aulas .

Piero de Manincor Capestrani disse...

Gostei. A paixão é algo que dá saudades. E, concordo, são sentimentos diferentes. Acho que a paixão, geralmente breve, é mais ligada a não ter, enquanto que o amor, a ter. Isso aí. Parabéns pelo blog.

Piero de Manincor Capestrani disse...

Gostei. A paixão é algo que dá saudades. E, concordo, são sentimentos diferentes. Acho que a paixão, geralmente breve, é mais ligada a não ter, enquanto que o amor, a ter. Isso aí. Parabéns pelo blog.

Anônimo disse...

É fato! A melhor descrição do estado de paixão, contudo, me remonta à canção "o último romântico" do Los Hermanos: "E até quem me vê lendo o jornal na fila do pão sabe que eu te encontrei". A paixão é um estado de contemplação, o amor é ação, trata-se de uma forma de querer as pessoas. No fim, acho que precisamos acabar com os dualismos. A presença de um não precisa significar a necessária ausência do outro. Ponto para você!