domingo, 28 de fevereiro de 2010

EU ODEIO SERTANEJO




O presente texto é uma reflexão estressada do blogueiro. Suas opiniões são realmente essas, mas todas elas dizem respeito à música e não aos que a ouvem (esses são heróis por agüentar tamanha porcaria). Se você acha que pode se ofender com o que está escrito nas próximas linhas, sugiro que não role o mouse e evite descer. Para os que se aventurarem, boa leitura.

Se a sobreposição de notas uma após a outra atendendo um regramento básico a soar uma melodia for o que se costuma chamar de música, então, há que se chamar esse gênero chamado sertanejo de música. Apesar de um lixo.
Sim, eu não gosto de música sertaneja. E, ao se dizer sertanejo, leia-se esse tipo de poluição sonora que surge nas rádios e nas ruas com um poder de destruição mais forte que o das pragas do Egito. Aliás, que nem vinculação com o Sertão possui.
O fato é que não se acha qualidade no que se ouve.
Provavelmente a preguiça mental– que parece ser regra nas pessoas –faz com que se valorize o nada, achando que no nada se entende alguma coisa. Alegam, os que apreciam a dita música (?!) que ela fala o que de fato é e revela o que todo mundo sente. Se assim o é, não há novidade no que se canta – o que torna ainda mais raso o ato de compor, já que se compõe o que já se sabe como é.
Possuir uma legião de “admiradores” não é nenhum atestado de qualidade. Há uma grande parcela de pessoas que se rendem aos ditames midiáticos. Se a mídia aprova, quem sou eu pra desaprovar. Se tantos ouvem, são esses tantos os que estão certo, logo, não preciso sequer ouvir para já concordar que é bom. E enquanto isso o mundo caminha para o seu fim...
O mais triste é ver algo tão desprovido de qualidade fazer sucesso em um Brasil que tem na sua música – a boa música brasileira – um de seus maiores referenciais no exterior. Nossos músicos – Ivan Lins, Tom Jobim, Sérgio Mendes, Bebel e João Gilberto, Céu, Astrud Gilberto, Dorival Caymmi e tantos outros são reverenciados no exterior pela qualidade da música que fazem ou fizeram, e no Brasil sequer alcançam respeito.
A música sertaneja é pobre. Música feita pra gente pequena (sem que necessariamente seja pequeno quem a ouve) e é onde me causa espanto quando vejo pessoas a quem julgo intelectualmente desenvolvidas, vibrando em rimas de amor com dor, paixão com solidão... Lamentável.
Na música sertaneja não se acha o ritmo sincopado deliciosamente presente no violão dos inventores da bossa nova, devidamente acompanhado pelo jeito macio de se cantar o sol, o verão, as alegrias e até o amor. Não há virtuosismo. É uma música que se toca em 6 acordes nas suas formações naturais, cantados por duas vozes onde uma delas não é nem ouvida o que dirá sentida. Não há harmonia que preste, dissonâncias, boa dinâmica e nem arranjos elaborados (basta um reles solo de guitarra em 04 compassos e lá vamos nós...)
A qualidade das letras é, invariavelmente, tão xinfrim, que não há sequer qualidade. Há apenas o relato de um amor que não deu certo porque a mulher se viu mais feliz nos braços de outra pessoa. Convenhamos, meu amigo, essa mulher deve ter encontrado alguém que não escutava sertanejo e encontrou a felicidade.
Pra mim é desesperador assistir as pessoas em estado de catarse entregues a esse barulho desregrado e sem dinâmica, como se estivessem sob efeito de um transe... como se fossem platéia de um show do Greenday após a experimentação das raízes da natureza.
Esse desespero que se faz gigante quando assisto minha irmã se realizando nisso que se pretende música; quando vejo uma namorada vibrando em meio a um repertória tão deselitizado e ainda por cima, uma irmã de apenas 09 anos, acreditando que isso é bom. Meu Deus, por que castigo tão grande para alguém como eu?
E vou além. Só não digo que o tal do movimento do Sertanejo Universitário é o mais lesivo a boa música brasileira nos últimos tempos, porque nesse ínterim surgiu o funk. Mas é um movimento desarrazoado que quis dar chance a cantores (?!) que em um mundo real não teriam a menor condição de dar certo. Péssimo...
Claro que esse meu sentimento representa nada pra esses pretensos artistas que a cada dia vêem suas contas bancárias crescerem milhares de milhões de reais, frutos de uma sociedade que adotou a falta de critério como qualidade para definir o que se é bom. São Sorocabas, Luans, Gusttttavos, etcque diariamente lançam esses lixos para o consumo daqueles que preferem viver em meio dele.
O pior é que, muitas vezes, para fazer graça, a pessoa se permite fazer uma brincadeira, canta um trechinho de uma letra que ficou enraizado no subconsciente ou qualquer outro fato que já surge motivo para que a pessoa outra reverbere aos 04 ventos que tanto você gosta da música que até sabe cantar.
Ora, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. E vice-versa.
Fato é que a boa música deve dizer muito mais do que ela diz e deve ser envolta de uma atmosfera condizente com a mensagem que quer passar. Devidamente elaborada, cuidadosamente trabalhada, para que atinja a alma das pessoas, dizendo muito, mas revelando nada.
O Sertanejo não faz nada disso, mas apenas enche os ouvidos de uma harmonização básica, fria e desprovida de qualidade, sem enarmonia, sem efeitos no ouvinte pela sua suavidade e percepção, principalmente se comparadas à Tom Jobim, Edu Lobo, Toquinho, Francis Hime, Egberto Gismonti, Arrigo Barnabé, Itamar Assumpção, Baden Powell, Ivan Lins e tantos outros.
As letras são pobres e isso em uma língua tão rica como a portuguesa, para que se diga em, Chico Buarque, Vinícius de Moraes, Victor Martins, Aldir Blanc, Ronaldo Bôscoli, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Flávio Venturini, Gonzaguinha, Cazuza e mais tantos outros.
Não faço questão que gostem do que gosto. Muito embora me seria muito mais saudável para os meus nervos que a minha convivência se desse com os que preferem se abster de ouvir essa excrescência da música brasileira.
Música de letra pobre, escrita para ter como alvo pessoas pequenas, que se permitem nivelar por baixo (“coisas esotéricas passando pela cabeça de quem se entende um possível jardim como os que para onde voltam as borboletas”), tão baixo que alcança o nível da própria música. A letra precisa conter algo que leve a reflexão de um tudo... mas as pessoas preferem o caminho mais fácil. A essas, por mais que o gosto seja algo próprio de cada um, é cada vez mais difícil respeitar.
O fato é só que... EU ODEIO SERTANEJO e, por favor, desistam de tentar mudar isso em mim.

88 comentários:

hinayana disse...

Concordo que o Brasil, terra de tantos talento musicais, dá valor para coisas q não é musica (funk), mas apelar falando que sertanejo e coisa de gente pequena.. aii vc pisou, e feio, no meu calo. Fazer o que gosto é gosto.

William R Grilli Gama disse...

Hina... eu não disse que o Sertanejo é música de gente pequena... Disse que a IMPRESSÃO que tenho é a de que, pela sua POUCA QUALIDADE, ele é feito para gente pequena... só isso

Não quis pisar no calo de ninguém...

Obrigado por ter passado aqui

Gleise disse...

Eu concordo contigo - do início ao fim. E admiro tua coragem, pois quem tem preguiça mental pra ouvir (o que é bom) não terá disposição mental para te compreender (coberto de razão). Prepare o escudo (os desafinados não terão coração, ahahahaha).

William R Grilli Gama disse...

Olá Gleise,

Fico feliz com teu comentário e apoio... Eu estou numa fase em que não condeno quem ouve aquilo que não gosto. Acho que se o fizesse estaria sendo injusto e lutei para evitar isso.
O fato é que eu tenho muitas restrições e nas mais diversas ordens a respeito desse gênero (e de tantos outros).
É uma música que no seu modo de ser, nada acrescenta...
Prepararei os escudos

Obrigado por ter passado aqui e deixado um comentário depois de tanto tempo

Fabrício Andrade disse...

Grilli, quando eu vi o título do texto, logo corri pra ler. Cara, vou te dizer um coisa. Você tem muita razão nesse seu desabafo. Acredito que o jantar de ontem tenha contribuído para essa manifestação de hoje. Percebi o seu desapontamento.Acredita de depois de sua saída, pedi ao Elias para tocar Demônios da Garoa, Leo Jaime e Agepê. Você perdeu! rs. Não quero fazer um juízo mais profundo das 'músicas' e dos compositores. Penso que, de fato, esse sertanejo universitário é pobre sim. Você tem toda razão, embora eu escute esse lixo. Descordo quando você fala 'música sertaneja' sem fazer nenhuma ressalva. Tem coisa boa especialmente as mais antigas. Há clássicos 'sertanejos' belíssimos. O tal do rótulo é sempre perigoso. O sertanejo, a antiga música caipira são músicas populares. Posso lhe dizer outra coisa? Sou muito seu fã. Um abraço.

Lilian Cristina disse...

acho q um "kkkkkkkkk" é suficiente.. mas vou mais além, rs..

será q eu sou uma desas pessoas q tem preguiça mental e valoriza o nada?!

afinal, eu defendo até o fim q as músik's falam oq todo mundo sente =P (e as rimas de amor com dor são as melhores, huhadiuhsdiuhisdu)..

anote-se que não basta um reles solo de guitarra em 04 compassos.. tem q ter uma sanfona ;D

ah! morri d rir com a parte da mulher que deve ter encontrado alguém q não escutava sertanejo e encontrou a felicidad, kkkkkk.. mas a verdade é que: elas gostam é d cowboy, com bota, espora e pinta de herói.. ♫

adorei ser citada nesse seu texto tão hilário.. e faço das palavras do Fabrício as minhas: "Sou sua fã"..

beeeeeijo hermano *-*

William R Grilli Gama disse...

Fabrício, obrigado pelo post e pela sobriedade no comentário.
Quanto a necessidade que você enxergou de eu ressalvar o gênero em relação a verdadeira música caipira, eu entendo que a fiz logo no início quando disse:

"E, ao se dizer sertanejo, leia-se esse tipo de poluição sonora que surge nas rádios e nas ruas com um poder de destruição mais forte que o das pragas do Egito. Aliás, que nem vinculação com o Sertão possui."

A música de raiz é cheia de significados. Não tem nada de vazia e, o bom violeiro, é um virtuoso naquilo que se presta ao narrar os causos do sertão.
O que mais me incomoda é o fato de que não enxergo o critério que se adota quando se elege um gosto por isso que chamei de lixo. E não há que se dizer que se gosta pelo simples fato de gostar, porque se for, aí é muito mais grave do que se supõem...

Mas prevejo que isso não dure e que essa moda passe (e que não demore). E torço por isso...

Quanto a ser fã... é recíproco

Abraço

William R Grilli Gama disse...

Li... o teu comentário foi muito bem humorado... realmente eu esqueci da sanfona (rsrs) ou melhor, do acordeon...

Eu espero que você não seja dessas pessoas e que essa fase logo te passe, mas se não passar e isso te fizer bem, no fim, é o que importa... eu vou continuar sem entender, mas...

Agora, pena das que preferem bota, espora e pinta de herói. Péssimo gosto para o dia de amanhã...

Obrigado pelo comentário, pelo fã e por ter passado aqui pela segunda vez... passe mais

Beijo

Polliana disse...

Faco das palavras do Fabricio e da Lilian as minhas...

Voce odeia sertanejo, isso é fato...mas voce soube expressar de um jeito que nao fiquei muito irritada com voce, pois sabe que defendo o sertanejo...pois eu gosto e muitooo....

é tao bom dancar aquele sertanejao com um bom som de acordeon...

e aquela musicas romanticas...adorooo...

...e eu nem gosto de quem usa bota, espora e pinta de heroi, muito menos de cowboy...só gosto de sertanejo, da musica ta...rs

tcha!

Respeito sua opniao William...

e nao vou falar que sou sua fã nao...vai ficar se achando...hehehehe

ja falaram isso de mais!!!

beijo e Parabens pelo blogg

William R Grilli Gama disse...

Oi Polly... meu blog está verdadeiramente prestigiado agora com a tua presença.

Que bom que você entendeu a idéia do texto. Não pretendo em momento algum desprestigiar quem gosta. Gosto, cada um tem o teu.
Mas as pessoas têm me olhado com tamanho grau de incredulidade quando digo que detesto (e ainda assim de repente numa festa me vêem ouvindo ou até cantarolando) que passam a presumir que só faço tipo e isso me irrita... é como disse, as vezes no momento da brincadeira, a pessoa permite que a tolerância seja maior, porque se não, a gente se torna insuportável perante os outros e os outros pra gente... Mas não é uma música que alguém me verá ouvindo em casa, no carro, no escritório e nem incentivando a que outro ouça...

Quando são amigos meus que se apresentam para tocá-la, assisto e com satisfação. Não por causa da música, mas pelo prazer de vê-los fazer o que gostam e de uma maneira que é um espetáculo...

Obrigado por ter vindo aqui... Beijo

Polliana disse...

hauhauahuahau

guento nao!!!

vou grava um CD só com os melhores sertanejos universitario...

nao vai ouvir?
kkkkkkk

Beijo

Eoclides Jr disse...

Bixo do céu, se soubesse disso antes, nem teria encostado a mão no violão sábado....rsrsrsr, se bem que muitas delas tu acompanhou muito bem na flauta e até com um certo entusiasmo, brincadeira. Olha só, como tu bem disse, é a tua opinião e óbviamente eu respeito. É uma questão de estilo musical. Eu particularmente utilizaria todos os teus argumentos e mais alguns para demonstrar minha rejeição ao axé, que ainda usufrui da vulgaridade e da exposição de corpos em simulações de sexo camufladas em dancinhas medíocres e descompassadas. Bem ou mal, no sertanejo ainda existe alguma concordância verbal, seja ela entre o "amor e a dor", a "paixão e o coração", coisa que não ocorre com o axé, haja vista que o País pára e os canais de TV dão ampla cobertura a um monopólio que é o carnaval da Bahia, em que os mesmos artistas há uns 20 anos, enchem os bolsos vendendo aqueles abadás ridículos para os babacas dos turistas que passam calor e apuros de toda a espécie, simplesmente para dizer que foram a Salvador, mostrando um cartaz improvisado e escrito a mão "tô na Band" e trazendo orgulhosos uma camisetinha do bloco da Carla Perez. Percebe-se a pobreza das letras, no momento em que os pseudoartistas tentam americanizar suas criativas e fantásticas letras, criando os sucessos " rebolation e vale night". É só a minha opinião....fui abc querido e parabéns.

Laurindo Fernandes disse...

Esse gênero de música chamado "Sertanejo Universitário" é desprestigiado até pelos próprios cantores mais tradicionais desse gênero, que vêem nessa vertente uma antítese da música sertaneja de raiz. É, na verdade, uma negação do sertanejo. O mesmo acontece com o forró, que involuiu para essas variações de "oxenti music", que de forró mesmo, não tem nada, ou muito pouco. O mesmo mal atinge o samba, (do qual uma vez fizeram um franksteinzinho básico chamado sambanejo, que a geral adorava)que tem nesses grupinho de pagode seus pretensos representantes. Mas gosto é gosto, mesmo quando se trata da ausência de gosto. No mais, adorei o texto e rí pacas.

Ah, obrigado pelo comentário lá no blog. Abraços.

William R Grilli Gama disse...

Eoclides, antes de mais nada, sou teu fã e é sério. Tanto que, apesar do que está escrito e em nome dessa amizade de tantos anos (lá se conta quase 07), faço questão de estar onde quer que vocês estejam tocando. Tenho prazer em ver pessoas que gosto fazerem o espetáculo que vocês fazem.

Como eu disse quando respondi alguns comentários, eu não tenho problema nenhum com a música sertaneja. O que me incomoda é essa relação - acho que até mais de cunho cultural - que as pessoas tem com esse novo gênero.
É o excesso de valorização que se dá a uma modalidade de música cujo o conteúdo se acha na parte mais rasa. Ao passo que precisamos que venha gente de fora dar o real valor para os verdadeiros gênios (ainda que não sei se não são gênios os que estão enriquecendo às custas desses sucesso).
Ainda brinco que as pessoas escutam o sertanejo, hoje, quase em estado catartico. Parece aquele povo que fuma maconha antes de ir em um show do GreenDay... viajam naquilo se entregando em um lugar que onde não sei (prova disso é que, a cada vez que vocês elitizavam o repertório do jantar, surgia alguém pra pedir que se voltasse ao sertanejo).
Note que tenho prazer em acompanhá-los em qualquer música. Mas não consigo me privar de analisar o comportamento das pessoas, ainda que a minha "ranzinzice" mereça toda uma sorte de reparos.
Mesmo nessa nova safra há o que pode ser considerado bom. Aquela música que fala que nunca viu ninguém viver feliz no sertão como o cantor é bastante singela e me causa uma boa impressão. A generalização é sempre complicada, mas me aventurei nesse risco...
Quanto ao AXÉ estou contigo também...
A tempo: Há que se considerar, no texto, as linhas iniciais que já diziam que eram a manifestação de um blogueiro estressado.
No mais, quando vocês voltarem à atividade estarei lá pra prestigiar e me divertir como sempre foi.
Abraço e obrigado por passar por aqui...

Bernardo Penna disse...

Não tinha como não comentar um texto lapidar como esse. É claro que concordo com você. E também acho que o início de tudo é a preguiça mental, que se expande em uma velocidade tremenda e que é lamentável. Porém, existir o que é ruim tem sua função, que é fazer com que a gente sempre possa confirmar que o bom é realmente bom. Como você sabe compartilhamos bastante o gosto musical. Parabéns pelo texto que. além de corajoso, fez uma crítica contundente que já se fazia necessária. Abraço.

Lilian Cristina disse...

e não é que deu ibope esse texto?! hsuihdiusdahsiuhasi.. tá bombando nos comentários.. um melhor q o outro!! =P

André Sinfrônio disse...

Essa discussão é tão infantil que me faz lembrar de uma piada de criança:

Era uma vez, três criancinhas, que discutiam quem tinha o pai mais negro (porque preto é politicamente incorreto).
A primeira, para provar que seu pai era o mais negro (leia-se preto) disse: Meu pai é tão negro, tão negro (lembrem-se que eu disse negro) que um dia ele cortou a perna e o sangue que jorrou era pretinho pretinho.
O segundo disse: Isso não é nada, um dia meu pai quebrou a perna e até o osso dele era preto.
O terceiro, por sua vez, disse: Vixi, isso não significa nada, um dia meu pai deu um peido em casa e nós passamos três dias no escuro....

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

André Sinfrônio

Fabrício Andrade disse...

William, você vai me desculpar, mas quem arrebentou mesmo nessa discussão toda foi o André. Tô rindo até agora da piada, aliás, chega chorei de rir. Bão, bão, bão!!!

William R Grilli Gama disse...

Bernardo, é precisamente isso. Até o ruim tem a sua função que é a de nos lembrar que o bom é de fato bom.
Acredito que a crítica precisa ser entendida como uma forma de percepção, nunca como o julgamento absoluto de quem quer que seja...
Nosso gosto musical é bem parecido, mesmo... bom pra você (rsrsrs)
E obrigado pelos elogios e por ter passado por aqui
Abraço

É sim, André, essa discussão é infantil e ridícula mesmo. Mas é interessante ver a paixão da pessoa em relação a alguns temas. Mas sim, são discussões que não levam ninguém onde quer que seja que se pense possível ir...
Valeu

Thaís Sonsim disse...

William, acabei de ler o texto, não havia como não comentar...
Gosto de sertanejo, ouço e tal, mas vc foi fantástico com essa descrição!! ADOREI!! Teve uma parte que vi a Li defendendo as músicas, é exatamente a fala dela. Muito bom!! kkkkkkkkkkkk

Ps.: Minha mãe leu comigo, adorou tbm! E pediu p/ dizer que ela concorda em número e grau contigo, rs.

Parabéns, gostei muuuito mesmo do texto e do blog também :D

beeijos, Thaís Sonsim

Ludmila disse...

Rebolation..ion ion..Rebolation..!! Ahh não, aqui é sertanejo né!! "Te dei o sol, te dei o mar, pra ganhar seu coração..você é raio de saudade, meteoro da paixão.." Aooo trem que pula!!
Ow teacher, que revolta heim! Fala que você não gosta de dançar juntinho?!Um sertanejão bem rodado? Fala que isso não anima qualquer ambiente?! Vai ouvir Gonzaguinha em um churrasco,pra ver se todo mundo não sai chorando?!
A idiotice é vital para a felicidade, assim como a relevância com as letras e afins.

Releve e fique na boa..=D

E quanto a te convencer do contrário, nem em sonho isso passaria na minha cabeça...a graça está em te pertubar de agora em diante..cantarolando "coisas exotéricas" e "borboletas"!! Combinado assim?!

Bjos profeee!!
=**

E eu adoroooo sertanejo e axé!!=D

Eliane disse...

Sem comentários né Dr. Wiliam....o sertenejo raiz faz parte da nossa cultura. Nem todo sertejo é bom, concordo contigo, mas nao vale generalizar.....um bj grande, desculpa pelo Luan Santana no sabado....rs.
Kaiomir.

joice disse...

è issu aí Ludmila, continue cantando mas, não se esqueça de Paga Pau, e Chora me Liga.....

Anônimo disse...

Meu caro professor, confesso que sua crítica ao gênero músical entendido hoje em dia como "sertanejo universitário" é no mínimo esdrúxulo e diria até mais, acho até um pouco disnecessário, haja visto que gosto é gosto, não há o que se discutir, cada um tem o seu. Porém, como você mesmo menciona ao iniciar o artigo, àqueles que acharem que se sentirão ofendidos, que nem se atrevam a rolar a barra de texto...
Enfim, notório é hoje em dia encontrar pessoas que no meio de tantas músicas "pobres" de conteúdo, curtam apenas MPB, bossa nova e afins... São realmente dignos de aplausos e respeito. E aqui vai o meu. Porém, não acho justo rotular quem o ouve, tampouco desmerer quem faz desse estilo um meio de sobrevivência. A fama, sucesso e consequentemente os milhões que isso tudo vai gerar, é mero detalhe.
Considero relevante apenas um aspecto em todo este contexto. Num país "pobre" em educação, onde pessoas simples, vulgarmente conhecidas como "populares", dificilmente encontrarâo razão ou sentido em escutar algo como "caía a tarde feito um viaduto, e um bêbado trajando luto, me lembrou "Carlitos"... em contraste a sua realidade diária que sustenta um "Seu guarda eu não sou vagabundo, eu não sou delinquente, sou um cara carente..." óbviamente em seu mundo, será aceito a 2º opção. Porque para ele, a mensagem principal chega mais facilmente a eles neste contexto.
Não podemos esquecer que a maior parte do país é "herdeiro de uma pampa pobre" e que antes de qualquer pré-julgamento ou desmerecimento de seu gosto musical, para enraizar saberes de maior conteúdo intelectual, há que se mudar o berço da educação e ensinar ao mundo novo que vem aí, de músicas cada vez mais feias e desistimulantes, e ensinar o outro lado "literal" de uma boa música brasileira com conteúdo realmente belo.

Sou amante" da musica popular brasileira, mas não posso deixar de mencionar meu apreço pelas várias outras vertentes musicais que nosso país apresenta, inclusive o tão odiado sertanejo, porque por mais que suas letras sejam "pobres" de conteúdo, são extremamente leves.. e por mais "corna" que seja seu sentido, muitas vezes é uma maneira de jogar para fora o ressentimento que aprisiona o sofredor... que por sua vez extravaza o negativismo, cantando, bebendo e dançando com seus amigos...

Um grande abraço,
:)

Ana Rúbia disse...

Oi Prof...
Isso delas gostarem d cowboy, com bota, espora e pinta de herói, não se encaixa em meu querer. Uffa!!! ainda bem! kkk
O homem dos sonhos usa terno, tem coisa mais charmosa??? rs
Mas quanto ao sertanejo... o que seria dos bonitos se não existissem os feios? O belo só é belo pq tem sempre um feinho para dar uma valorizada.
Admirável a atitude de expressar uma opinião que não deixa brechas para que o sertanejo entrar. rs
Ah, de vez em quando, na dorzinha de cotovelo, ou na viagem ao passado até que o sertanejo se encaixa direitinho, mas sem o cowboy é claro!
E realmente nosso país tem um gosto musical por vezes muito pobre, letras sem uma coerência lógica, mas assim como os feios completam os belos, o pobre faz enriquecer muitas coisas, e é isso o que ocorre com a música.
AH, mas tbm não é tão ruim assim...
rs
BjãOOOO

Sergio Grilli disse...

Meu caro sobrinho Willian

Me aventuro a dar a minha opinião neste blog de pessoas tão inteligentes e bem informadas,e não é ironico não......

1. O texto é muito bom, apreciei cada paragráfo dele,sempre pensando "este menino vai longe...'

2. Pensei também que gosto musical é igual falar de religão, gostamos de uma ,defendemos este gosto, e quase sempre ficamos tristes com os que pensam diferentemente.

3.Fiquei feliz em ver como a minha sobrinha Lilian , foi inteligente em seus comentarios,quase me convenceu a gostar de sertanejo, claro que discordo no item homens bonitos, credo , nem vamos falar de homens, bonitos somos eu e vc .

4. Mas como sou seu fã,e se um dia pudesse, iria querer ser igual a vc,com toda esta inteligencia, vou continuar ouvindo "arautos do rei",estem sim são bons e agradam a quase todos.

5.Um grande beijo a todos que deram as suas opiniões...e continue nos brindando com estas saudáveis polemicas.

More Than Useless disse...

Cara foi o melhor texto que eu poderia ler nos últimos anos. Expressando bem o que sinto, mas que com palavras não saberia descrever (coisa que você conseguiu de forma magistral). Fico muito feliz de saber que ainda existem brasileiros capazes de enxergar o que de ruim nossa sociedade admira e não se submete a essa ruindade. Vejo uma luz no fim do túnel quando pessoas como você saem de sua rede de conforto e desafiam aquilo que não está de acordo. Muito obrigado por esse post, e por esse texto que merece nota mil.
Abraços,
Att Grégor

Anônimo disse...

Eu também detesto esse som provavelmente corrosivo. Principalmente se tratando daquele pestinha chamado Luan Santana!!! Ele é um metido a playboy que ficou com o sertanejo por babaquice mesmo! E mais, eu ia achar o máximo empurrar ele do palco direto pra cara daquela plateia ridícula!!! Você tem toda a razão!

Bernardo Rodrigues disse...

O texto é tão preciso que eu mesmo gostaria de tê-lo escrito.Uma visão(audição) clara do momento atual que sofre o país com esse lixo rotulado de Sertanejo Universitário. Eu também odeio música sertaneja.Graças a Deus ou ao Diabo que o Zezé di Camargo ficou afônico.

Anônimo disse...

Adorei...

odeio rap, axé,pagode meloso, funk carioca e sertanojo.
junto tudo e dou descarga

Gi. disse...

SERTANOJO. Eu tenho muita ruiva. Quando aquilo começa a tocar, tenho vontade de atirar um chinelo no aparelho de som. AAAAAAAAAAAAAAAA eu odeio, muito mesmo. Que me desculpem os que gostam, mas pelo amor de Deus, vão aprender a cantar. Hoje em dia qualquer um vira cantor (inclusive fanhos como Luan Santana). o Brasil já teve música melhor, e é por esses e outros motivos que eu só ouço músicas internacionais.

Anônimo disse...

Sou locutor de rádio comercial e por este motivo não posso me identificar! concordo com tudo que foi postado aqui pelo dono do blog! sertanojo é lixo cultural, vc precisa ver o naipe do povo que pede esse tipo de musica nas rádios, um pessoal que não tem nenhuma cultura e tem um mal cheiro debaixo do braço de dar nojo! por isso votam tão mal! não tem culturam nenhuma! gostam desse tipo de musica pq tem preguisa de buscar conhecimento e esse lixo é facil de se assimilar afinal fala de cifre, cachaça e ... bom acho que é só isso né... chifre e cachaça! lamentavel!!!

Anônimo disse...

Tudo isso está acontecendo e tem muita gente que não gosta desse novo sistema musical, vejo muitas pessoas se queixando e com razão!
acontece que a culpa é nossa!
Nós estamos deixando isso acontecer, porque enquanto os sertanejos se unem para ganhar forças e impor o estilo, nós ! ao contrário, somos todos individuais.
Se todos que nem nós participacem de um tipo de sociedade virtual poderíamos desenvolver projetos e defender a nossa causa , mas se ficarmos reclamando cada um em seu espaço , não vamos mudar nada e a coisa vai piorar cada vez mais, pode acreditar! rslcelular@hotmail.com

projelrc disse...

eu detesto estas também,depois que estas duplas ficam famosas tocando em radio e demais os caras ficam metidos principalmente estas porcarias cantadas por zeze de camargo e luciano tem que ter estômago ....

Anônimo disse...

Odeio mesmo esse lixo que chamam de sertanejo.Também acho que Caetano Veloso não seja parâmentro para nada.A verdade é que graças a tecnologia esse tipo de lixo veio a tona. De Caetano a zezé de Camarco a porcaria é uma só.Acredito que com analfabeto votando e escrevendo "músicas" esse país não melhore, pseudos intelectuais cantando "Odara" não contribuem para porra nenhuma tb não.
Estamos vivendo o momento de cultuar a aberração e bestagem, besteira e o lixo que a merda que de mídia empurra para os babacas engolirem. Bom apetite.

Éverton disse...

Para quem já ouviu as lindas e inteligentes letras do Legião Urbana e viu como o povo todo cantava e agora ter que ouvir sertanojo em todas estações de rádio é realmente lamentável. É uma choradeira de homem que perdeu a mulher e vai encher a cara. O Brasil é bom, o brasileiro é que estraga. Vamos usar um pouco o cérebro minha gente!

Antonio disse...

William: Imagine essa turminha que adora e defende esse lixo musical chamado "sertanejo universitário" como Governador de estado, Prefeitos, autoridades num país. Se tem preguiça de pensar e preferem ouvir músicas que se igualam a "atirei o pau no gato" (Paga Pau), imagine tendo que ler coisas complexas como um livro de Leis. Concordo em tudo que disse. Você foi feliz em seu comentário. Mas a culpa disso tudo é de toda mídia e o jabá cobrado e com isso, quem saiu perdendo foi essa geração de medíocres.

Ricardo Negrão disse...

Busquei e encontrei o titulo.Bom saber que ainda existem pessoas acordadas, que sabem valorizar boas produções musicais.Sertanejo é igual o crack, dificil de se extirpar,mas enquanto haverem pessoas que tentam combater esse degeto sonoro com boa musica,a cena do Brasil irá mudar.Otimo texto.

Ricardo Amorim disse...

Caro William,

Simplesmente, concordo com vc em tudo. O "sertanejo" que se ouve atualmente é pobre em letra e melodia. Entretanto, não há muito o que fazer, pois vivemos num mundo em que a verdade é puramente midiática, ou seja, se a mídia afirmar que esse estilo de música é bom, ele assim será considerado pela maior parte da população. Não tem jeito.

E a culpa dessa praga na música brasileira não é, de forma alguma, das duplas que cantam por aí. De jeito nenhum. Eles somente oferecem aquilo que a população quer ou acha que quer. Ao estilo do antigo Capitão Nascimento: "Sabe quem matou a boa música brasileira??? Foram vocês! VOCÊS!!! Vocês que ficam idolatrando essa praga de "sertanejo universitário! São vocês que sustentam a indústria dessa droga de estilo musical! Vocês é que financiam essa praga..."

Ab e ótimo blog

Anônimo disse...

Tenho que concordar que sertanejo é um Lixo. Minha Irmã,Mãe,Cunhado,todos eles escutam esse lixo. Sertanejo,Funk,todas essas merdas (Desculpe pela palavra) não deveriam existir.... O pior é que virou "Modinha" agora e toda vez que ligo o rádio,o que está tocando? Adivinha! A DROGA (Porque vicia já que todo mundo quer ouvir isso) do Sertanejo tá tocando. E olha que nem é sertanejo porque não fala nada do sertão brasileiro... Mas é decadente mesmo... Me coloquei como anônimo porque senão ia ser xingado em todos os blogs e sites de relacionamento porque falei mal do sertanejo... O brasil é um país pertido mesmo,e termino por aqui para não começar a falar de política...

nandao disse...

Olá,
Meu nome é Fernanda Sales tenho 20 anos e há três anos toco violão e canto nos bares mas não sobrevivo disso, estudo Bioquímica na UFV.Bom gostaria de compartilhar uma coisa pessoal até 2 anos atrás eu odiava sertanejo inclusive Zezé di Camargo e o coleguinha dele, porém a vida me deu uma rasteira viu??O que aconteceu??Nos bares da minha cidade é feito cover e como meu estilo é bossa nova, mpb, essa coisas boas para se ouvirem, muitos caipiras chegavam lá e mandava guardanapos com nomes de músicas como:É o amor (nem gosto de lembrar mas eu nao cantei) e outras papagaiadas...No ano de 2009 choveu papel de sertanejo e aí eu fiquei numa fria, e me perguntei o que faria pois se você não toca o que o povo quer já era sua carreira de iniciante.Bom o ruim disso tudo é que tenho uma pasta de 70 músicas sertanejas inclusive aquele besta do Luan Santana e o bom disso tudo é que eu tenho mais shows durante o ano e ganho mais didim com esse repertório....Isso é que é castigo!

Keli disse...

Concordo. Música sertaneja é insuportável e muitas vezes machista demais.

aldo giannazzi disse...

Bylly valeu, gostei muito sobre o que voce escreveu.O que eu penso e acredito a respeito dessa coisa que chama de musica sertaneja e que virou uma pandemia nacional,droga da pior qualidade,afeta + a nossa juventude do que o krak e tao ruim que precisa de 2 pra cantar,pra ficar ruim, tem que melhorar muito.
Sacanagem dessa midia,onde vende esse tipo de droga,atraves desses programas,que e o mesmo tipo de droga que e o tal de sertanejo.
Rede globo plimplim, acorda voces estao vendendo pior produto que alguem pode vender,droga de pessima qualidade,deixando nossa juventude cada vez mais lesada.
Musica e maior expressao de cultura,que existe no planeta terra.Motivo o qual eu penso que deveria haver uma intervencao federal por parte do MEC.Pois um povo sem cultura e povo sem alma.
E o maior investimento que uma nacao faz, e investir no ser humano
Salve Salve o bom gosto/bons costumes, que esta acabando.
aldo giannazzi

Marcos disse...

Apenas uma palavra....

SENSACIONAL!!!!!!!

E se permite minha humilde opinião sobre a formação das letras...

Resume-se em um homem apaixonado que termina cortando os pulsos porque a mulher não o quer....

Barile disse...

tenho 60 anos de idade. Ouvi beatles, Lafayette, Marisa Monte, 14 Bis, o Terço, Milton Nascimento, Beto Guedes, Secos & Molhados, Sérgio Mendes, Erasmo e Roberto Carlos, Marcos Valle, jovem guarda, tropicália, bossa nova, Nara Leão, tom Jobim, festivais da canção, os Mutantes, Caetano, Gil, Gal, Ivan Lins, Tim Maia,sou músico amador, sei avaliar quando uma canção tem algo melodioso, ou harmonioso. Essa música ´´sertaneja´´ dos anos 90 não tem qualidade. Quando tocam desligo o rádio.

Clenilson disse...

musica sertaneja é pra quem não tem personalidade ou ta com o cerebro se deteriorando pra ouvir, musica sertaneja é uma prosopopéia flacida para acalentar bovinos, conversa mole pra boi dormir.

Anônimo disse...

OOOODEEEIIOOOO SERTANEJOOOOO !!!

Anônimo disse...

"Make Your Own Kind Of Music" veja a letra dessa musica...só ISSO...

Anônimo disse...

ROSA DE SARON = Qualidade Musical e Espiritual

Matheus disse...

Todo comentário extremista e que generaliza algo, perde a sua razão e pode chegar a ser preconceituoso.
O sertanejo é um estilo musical e merece respeito, o problema está no que é chamado de subproduto do sertanejo(sertanejo eletrônico sertanejo funk, sertanejo universitário).
Eu moro no interior do Paraná e sei mais do que ninguém o quanto é difícil fugir dessa moda que dura mais de 15 anos e vem a cada dia se fortalecendo mais.
Isso vai continuar e teremos de aceitar até aparecer uma nova geração de cantores que consigam impor uma nova "moda". Você citou artista antigos que fizeram musicas de protesto contra a ditadura, as musicas continuam boa, mas quem vai escutar isso em uma festa?
Temos artistas bons hoje (O Rappa, Marcelo D2, Ponto de equilibro, Zeca Baleiro...), mas nenhum consegue superar o sertanejo, porque não tem um "estilo" mais forte que esse atualmente.

Anônimo disse...

Heinz Disse...

Concordo plenamente com voce William , e vou mais além... essa "fase" e culpa do baixo intelecto brasileiro.
Estou em corumba a trabalho e vejo isso aqui... e o tempo todo essa coisa de homem chifrudo, de mulher que não presta mas o cara ama, de telefone que nao toca, de fim de semana .... Está certo que em toda parte do mundo existe lixo, mas o problema e a quantidade e a densidade desse lixo
Grande abraço

Hip Hop German disse...

A verdadeira música sertaneja(de raiz com letras inteligentes) se tornou 'breganeja' já na década 70 com a entrada dos 'brega' chitão...e xoro... e daí em diante só piorou a burrice: zezé di cam...e luc... leand...e leonar...
De tanto ouvir essas breguices o homem brasileiro já se acostumou a ser corneado...
músicas de baixo nível...concordo.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com sua opnião sobre esse lixo chamdo música sertaneja (que de sertão não tem nada), só gostaria de fazer uma observação, quando você se refere ao Funk, tenho certeza que não está se referindo ao verdadeiro funk, que nasceu nos EUA a mais de 40 anos atrás tendo como principal precursor o Mestre James Brown, e que no Brasil teve adeptos como Tim Maia, Jorge Bem, Sandra Sá, Ed Mota e tantos outros, deveria escrever "Funk Carioca", apesar de eu ser carioca e morrer de vergonha dessa porcaria ter nascido aqui, penso que seria melhor você ter especificado de que "funk" estava falando, e a própósito, que tal escrever também sobre Axé ? arrg !

Hudson de Oliveira

Anônimo disse...

Tomar banho de sol é bom né? Chocolate então.. pouca gente não gosta, e se for alem disso só pra exemplificar penso que quem gosta de alcool, ou mesmo drogas, gosta por que pode ser gostoso, ou por que viciou de alguma forma em algo que não faz bem, mas que nos faz se sentir bem. Eu sou músico já a um bom tempo, e conheço os músicos que tocam com música sertaneja. Eles são bons e curtem em casa de Jazz a Rock, quando não curtem samba (não pagode), mas tem que ganhar dinheiro. É a melhor coisa que aconteceu pra os que tocam nessas bandas... Mas são poucos perto dos que tem idéias lindas e músicas novas e com verdadeiras pérolas que dormirao e morrerão nas gavetas das gravadoras (as que ainda existem), e mesmo os que ainda não descobriram que a rede pode vender essas idéias, não se sentem corajosos para por pra frente a verdadeira música de seus corações..
Gosto é gosto, cultura é cultura, mas MANIPULAÇÃO é CRIME. Um crime que irá ser julgado pelo futuro, quando olhando para traz, nossos netos ou bisnetos terão pena de nós, pois temos os melhores timbres, a melhor tecnologia até agora, os melhores efeitos visuais e insistimos em mostrar apenas o pior de nossa criatividade. Mas é o comercio do cala boca universotário... Não se pensa mais como universitário... Talves um dia isso volte a ser como nos anos 60, onde muitos deram a própria vida para que pudessemos pensar livre, compor livre e mostrar a verdadeira expressão musical e em outras esferas de arte com algo realmente útil para todos...
Chegará o dia em que nos será cobrada a dívida de nossa falta de compromisso com as coisas boas e então seremos apenas e tão somente pessoas sem a energia que a música verdadeira tem para oferecer...
Mas gosto é gosto... eu prefiro criar meus sonhos com o que sobrou de bom das décadas de ouro para fazer a trilha musical de minha vida. Mas gosto é gosto.
E viva as duplas amigas das duplas que conheceram as primeiras duplas e que não deixam ninguem que seja diferente demais entrar (analise o CD ao vivo de Cristhian e Ralf, gravado há anos atras).
Se voce quer saber, ler um livro antigo é tão bom quanto ouvir uma música antiga... Mas ler um livro novo demanda uma parte do seu cérebro que todos temos que não nos deixa ler algo que seja ruim...
Bem basta que voce transporte isso para seus ouvidos e julgue melhor seu gosto musical.
abraços a todos....

Rafael Santos disse...

Concordo totalmente contigo. O pior é quando compõe em cima de uma música internacional. Quem escuta acredita que é a fiel tradução da música, sendo que 99,99% é totalmente diferente e avacalham toda a harmonia da mesma. Este provavelmente é o pior período musical que o Brasil, senão o mundo já passou. Para quem já ouviu Lô Borges, 14 Bis, Milton Nascimento, Boca Livre, etc., dá tristeza ligar o rádio.

Adriano S Gouveia disse...

Saudações caro William . Gostei muito do teu texto e concordo contigo em genero, numero ,e grau!! Realmente e muito triste assistir a uma geração inteira começar suas vidas em tamanha pobreza espiritual e mental. Pobreza esta ,fruto de um pais sem leitura , sem familia , sem futuro,e que funciona ao merce de induçÕES GLOBAIS
bbbistas pregando a eterna briga do rico contra o pobre,do berço de ouro ao morro,da traiçao a vingança olho no olho, dente por dente. Isso tudo acima citado ,somado ao tal "ESTILO MUSICAL" ,contribui para fazer essas mentes tao pequenas desse povo tao pequeno funcionarem numa especie de LOOP maldito ,quase tao breves e limitados quanto as estrofes musicais que ouvem. SINTO MUITO POR ESTAR ME EXPRESSANDO TANTO TEMPO DEPOIS MAS..... PARABENS A VOCE !!!! Grato pelo espaço.

Anônimo disse...

Falou de Sertanejo Universitário, Funk Carioca e Maria Gadu (desculpem os fãs da cantora, pois, para mim, foi umas das maiores decepções da MPB) estou fora.
O Sertanejo Universitário, principalmente, virou alvo para atrair markerting para o público jovem, sendo esse o seu maior consumidor.
Sou um jovem de 28 anos e independente do gênero de música que curto. A maioria dos jovens aqui no Brasil não possue essa independência de escolher que tipo de música curte. Temos vários valores como Legião Urbana, Titãs, Paralamas, Djavan. Esses sim, tem letras e conteúdos diversificados nas suas músicas!
De vez os jovens buscarem explorar o seu próprio gênero, ficam aprisionados em gêneros que nem somente possuem rótulo e letras onde, na maioria delas, falam de "balada" e "fins de relacionamentos".
Sou muito mais a Country Music norte-americana (que esse gênero adoro e muito) a esse sertanejo empobrecido e irrelevante!

Parábens pelas palavras e agradeço por ter abrido esse espaço para expressarmos sobre isso!

CTR disse...

Faço minhas suas palavras, caríssimo amigo!
Creio não haver nada mais à ser dito nos comentários, haja visto que sua explanação é completa e abrangente suficiente para sintetizar as opiniões de todos que abominam essa escatologia que disseminou-se Brasil afora (e infelizmente, atravessou o Atlântico).

Abraços e deixo meu TOTAL e IRRESTRITO apoio à suas palavras!

Tânia Vaz disse...

Adorei o texto! concordo com vc, em número, gênero e grau! Parabéns!

Anônimo disse...

SERTANOJO

SE VOCÊ ODEIA VISITE O BLOG

http://ocavaleironegro.blogspot.com.br/

O CAVALEIRO NEGRO

Moe disse...

JÁ DEU! Chega de Camaro, Tchu-Tcha, etc!

Rock Nacional precisa desabafar!

http://www.youtube.com/watch?v=hy52usDva5A&feature=share

rreialves santos disse...

Concordo plenamente com voce eles estão destruindo a musica brasileira, os gringos acham que somos bebes que so sabe falar duas frases,o ritimo e horrivel, alguem preciza tomar providencia se não estamos perdidos.

Johnnie disse...

Concorco com tudo. tenho 48 e quando tinha 15 já não gostava daquele sertanejo mal cantado. Alguns eram bons. Admiro Sergio Reis a Almir Sater. Excelente seu texto. Este sertaneja que aí está é fruto de mídia paga, lavagem cerebral que começou na globo e muitos aqui nem tinham nascido. as gravadoras pagam as rádios para executar. os mais novos não conhecem outra coisa, e acham que isso é bom. pobres mortais. os brasileiros gostam de tudo o que lhes colocam goela abaixo. gosto não se discute, se lamenta.

Anônimo disse...

Musica sertaneja é lixo puro!!! Aquelas duplas de bosta deviam sumir!!

Luiza

Domingos Guerino Dias Junior disse...

Obrigado pelas palavras.....e acredite, tem muita gente q aprecia boa musica....penso exatamente igual a vc...ja pensei até em me mudar de pais ,mas acho q quem deveria sair são eless...a massa sem massa cinzenta....abraço

Orestes disse...

Esse lixo so sobrevive por que é imposta por intermedio do jaba.

ASGF disse...

concordo plenamente com o autor do texto, música sertaneja é pobre e medíocre. Excelente texto!

Valmir Felix disse...

Uma coisa que eu tenho notado! Percebam vocês também! Eu vou me aprofundar-me um pouquinho mais, antes
de falar do primeiro tema acima “Percebam vocês também”

Pois bem.....-Eu por exemplo, tenho 33 anos, em
minha casa em minha vida, dentro de casa e fora de casa, em minha fabrica ou em
minha loja, dentro do meu carro ou fora, enfim......em todos os lugares que eu
posso evitar, que essa podre manifestação musical entre, eu sempre evitarei.

Nunca deixei entrar em minha vida essa merda,
tenho poucos amigos! Mesmo porque, as seleções de minhas amizades e
relacionamentos começam pelo o bom gosto musical de cada! Se estiverem dentro dos meus parâmetros, serão
meus amigos! Se não estiverem, não faço questão nenhuma de ter, e ser companhia
de tal ao meu arredor.

Sempre quis ser um psicólogo,
estudei dos 4 quatros anos que precisava ser, 2 anos apenas, Mas logo troquei
por outra faculdade, a Musica. Fui parar na Espanha, estudar musica flamenca,
vivi pra musica 11 anos de minha vida! Vi e ouvi muitos músicos anônimos
maravilhosos, e posso compará-los aos grandes músicos do nosso país, mas, vi
também como eu, perderem espaço e trabalho, em casas de shows e bares, porque
não tinha em seu repertório a merda deste fenômeno atual.

Hoje de vez em quando, tem gente que às vezes ate me perguntam! Por que
eu vendi todos os meus instrumentos e parei com a musica.

Eu nunca pensei 2 vezes em desistir da musica quando o lixo sonoro invadiu tudo e todo mundo, passei uma baita necessidade e muitas vezes fome dentro do meu carro por ter estudado muito, e por ter bom gosto, rodando por 13 ou mais estado do nosso país, levava um repertório de musicas que se eu citar a lista aqui, daria no mínimo, 1.000
mil paginas, somente das mais belas musicas já criadas neste país.

Valmir Felix disse...

“Agora voltando no tema acima” Uma coisa que eu tenho notado!
Percebam vocês também! Já perceberam que todo mundo, façam esse teste! Se
você perguntar! Todo mundo sem exceção de ninguém, meninos, meninas, moças,
rapazes, senhoras, senhores velhos e velhas enfim........ Todo cidadão comum do
dia dia! Quando você pergunta ou afirma sobre essa merda de musica nos bares,
nos fast food da vida, em lojas de roupas em Shopping em mercado em postos de gasolinas nas casas, nos seus vizinhos.... Em todo lugar, em todos os cantos, em tudo em qualquer coisa sem exceção de nada, essa merda esta sendo executada.

Ai todo mundo diz não gostar! Ninguém gosta dessa merda! Tudo mundo que
eu pergunto ninguém gosta! Como não gosta? Como? Agora ninguém gosta! Ninguém
assume essa merda, Ninguém! Esse povo, que gosta dessa merda! Não tem nem a
coragem de assumir que gosta dessa merda, dessa bosta toda!

Por quê? Por quê? Porque tem vergonha de assumir que fazem parte dessa
geração vagabunda de musica que esta sendo executada por todos os tipos de
comércios deste País.

Onde eu entro pra comprar seja lá o que for, tem sempre um capeta de um Rádio com varias caixinhas de sons, espalhadas, espalhado como merda no ventilador essa bosta de musica, “e” de graça!

Como se todos os cidadãos e cidadãs fossem obrigado a ouvir e conviver com aquilo, quando seria mais simples, desligarem o Rádio, ou, colocar qualquer coisa instrumental....

Mas, a pergunta que não quer calar! Quando fazemos pesquisas sobre a bosta e a merda, só encontramos
pessoas cultas e inteligentes e de bom gosto..... Chega ser, ate engraçado... Cadê
os consumidores desta desgraça toda? Porque se tem tanta gente que não gosta,
como explicar essas merdas de shows lotados?

Porque se tem tanta gente que não gosta, porque essa audiência gratuita de ponta a ponta deste paizinho do caralho.

Valmir Felix disse...

Uma coisa que eu tenho notado! Percebam vocês também! O que mais se encontra, são pessoas que dizem
não gostarem dessa merda toda, mas, o que eu mais vejo e ouço são essas merdas
todas!

Dentro dos seus carros, dentro de suas casas, em rodoviária, em metrôs em Aeroportos, está todo mundo sentado e consumindo, nesses
lugares onde está sendo executada essa bosta toda no ar.

“Analise disso tudo! é uma bosta! E, hipocrisia supera geral”.

Existe uma pesquisa muito seria, realizada por um antropólogo um
sociólogo um psicólogo e um psiquiatra de uma excelente Faculdade
respeitadíssima no Brasil.

Tive acesso a essa pesquisa por ser amigo
deste grupo! Que eu não vou poder citar os nomes deles aqui, porque estaria vinculando-os ao meu depoimento particular acima.

Mas vou mostra para eles essa matéria e se eles não fizerem nenhuma objeção colocarem os nomes deles aqui, só pra reforçar toda a minha certeza.
Existe uma pesquisa que eles fizeram por 2 anos, e resumindo essa pesquisa, eles entrevistaram, tipo o Censo, uma cidade inteira com 251mil
habitantes sobre a cultura.

E alicerçados na ciência, concluíram que a
cada 1.000 pessoas, 2, somente duas! Tem muito, mais muito bom gosto.

Gente....... É alarmante! Se inclua nesta lista e não tenha medo de afirmar, sou uma delas.
Luthier, Musico Valmir Felix.

Anônimo disse...

Moro em uma cidade com diversas instituições de ensino superior (quase todas privadas) no interior do Paraná e, portanto, convivo diariamente com essa realidade há muitos anos.

O que se pode notar nesse meio é que quase nenhum amante de sertanejo universitário tem um bom português. Muito menos argumentos plausíveis e fundamentados relacionados à QUALIDADE ARTÍSTICA do gênero musical (até mesmo porque não há). Normalmente são apenas inflamados pela dorzinha motivada pela crítica negativa ao estilo musical de seu gosto. Coisas como "aff... quanta besteira". Mas dificilmente fundamentado de forma inteligente. Eu mesmo, nunca vi. Normalmente são bem burrinhos mesmo, do tipo que nem ao menos conseguirão ler este texto até o final, pois não gostam de estudar, portanto não estão habituados a ler textos longos.

É CLARO QUE HÁ EXCEÇÕES – estudantes extremamente inteligentes em instituições privadas de ensino superior e gente tosca em universidades públicas.
Para mim, o gosto musical diz sim, muito a respeito da cognitividade, ao menos no que se refere às inteligências artística e interpretativa.

Isso não acontece somente na música, conforme indicam as grandes popularidades de novelas, 50 Tons de Cinza, matérias "jornalísticas" exploradoras de miséria humana, fotos de peitos e bundas, BBB, etc... Ou seja, atores, jornalistas, fotógrafos e diversos artistas e profissionais decentes de outras áreas também sofrem com isso.

Em uma Ditadura Militar, a repressão explícita, invariavelmente, estimula ao raciocínio, já que suas restrições afetam de forma mais direta o cotidiano das pessoas.
Some-se isso ao ensino de melhor qualidade da época e talvez possamos entender ser natural que se produza arte de melhor qualidade (ao menos no quesito do senso crítico social) nessas condições.

NÃO TENHO DÚVIDAS DE QUE A DEMOCRACIA É MELHOR. Que fique claro que não sou a favor da ditadura e que minha opinião não visa viés político algum.

Mas há suas consequências. Se a vida está melhor, temos "menos" do que reclamar e, por consequência, menos estímulos ao senso crítico (de uma forma massiva).
E isso o nosso governo atual aprendeu muito bem, se utilizando do fato para diversas outras coisas.

A evolução (inclusive intelectual) de uma sociedade não se dá de imediato (basta notar que em quase 30 anos de democracia, ainda não conseguimos fazê-la funcionar de fato da forma para a qual foi idealizada - principalmente em função da corruptibilidade do homem).
A classe C emergente evoluiu financeiramente. Porém a cognitividade popular não acompanhou na mesma medida.

Tenho a impressão de que a alta popularidade do então sertanejo universitário é, em grande parte, simplesmente um dos frutos da ascensão do mercado de ensino "superior" privado, que em sua devastadora maioria, exige apenas condições financeiras para ingresso, e não intelectuais.
Não lhes são exigidas interpretações de boas obras artísticas para aprovação.
Como vamos agora exigir que tenham bom gosto, preferindo músicas que mexam com suas mentes ao invés de tão somente com suas bundas?

É difícil falar em culpa.
Acredito que a oferta de música sertaneja universitária no mercado fonográfico seja consequência dessa coprofagia, que por sua vez é uma das consequências do descompasso entre os progressos financeiro e intelectual.
"Sertanejo Universitário" me soa mais paradoxal do que o termo "Desenvolvimento Sustentável".

Sem contar que nosso sistema capitalista foi "desenhado" para que os indivíduos não pensem mesmo. Muitos gostam de sertanejo universitário justamente porque preferem música para festar ao invés de música para refletir, em função de suas rotinas estressantes de trabalho. E alguns dos reflexos disso nós vemos em nossas urnas...

Anônimo disse...

...
Conheço muitas pessoas dotadas de grande inteligência artística. Quase todas estas repudiam o estilo musical em questão.

Conheço inúmeros cantores e bons instrumentistas (que obviamente não vou expor aqui) que odeiam sertanejo universitário, mas se propõem a trabalhar no ramo única e exclusivamente pelo dinheiro. Tanto que se propõem a fazer isso apenas por tempo limitado, para não gerar muito desgosto para com a música.

E finalmente, conheço vários compositores (que também, obviamente não vou expor)que só estão no ramo pelo dinheiro, já que é muito fácil escrever letrinhas na "fórmula comercial sertaneja". Mas que não se propõem a cantar (embora tenham talento para isso) por vergonha, já que não gostam do estilo musical.

E claro que há exceções (são muito raras, mas há) - pessoas muito inteligentes que gostam de sertanejo universitário. Curiosamente, dessas exceções, a maior parte dos que conheço, admitem considerar o estilo musical tosco, se comparados a outros tipos de música.

Se você é uma pessoa inteligente e gosta de sertanejo universitário, te considero uma exceção.
Mas se for responder a este comentário, por favor, fundamente quanto à qualidade do estilo de música e dos textos.
Vale lembrar que escrever o que as pessoas sentem no dia-a-dia (dores de amor) não significa qualidade. A forma de se escrever, talvez sim. Tampouco sua vendagem e evidência, pois para estes, todos nós sabemos as causas (que não têm nada a ver com qualidade).
Comentários pífios e inflamados somente ratificarão o que escrevi aqui.
Recomendo também que seja cauteloso ao citar uma letra (ou trecho) de algo do sertanejo universitário que considere bom, pois isso vai dizer muito a respeito de sua cognitividade.
Vale lembrar também que há diversos outros gêneros de música dançante que não depreciam a mulher. Ou seja, há opções decentes para a dança. Há alguns meses atrás, assisti a um trecho de um programa onde garotas dançavam e cantavam uma música do Luan Santana que dizia que a garota se faz de santinha na frente do pai, mas longe dele ela “perde a linha” (possivelmente para não escrever algo como “longe do pai é uma biscatinha”). Nada contra o garoto. Ele só vende o que o garotada quer comprar – ritmo dançante, com letrinhas depreciativas ou românticas e imagem. Pergunto-me se essas garotas se identificam com a letra da música ou se somente não ligam para o que está ouvindo e cantando, desde que o ritmo lhes proporcione vontade de dançar. Sinceramente, não sei o que seria pior...
E por favor, não me venham com “sínteses” inflamadas tais como “Então quer dizer que quem faz faculdade particular é burro?” ou “Pronto, agora quem ouve música sertaneja é burro.”.
Fundamente. Prove o contrário. Ou só estará corroborando com o texto.
Ou você pode aproveitar ainda para refletir a respeito. Apesar de ser difícil esperar isso (reflexão ou fundamentação) de um amante de sertanejo universitário (assim como do funk, mas estes têm menos culpa, pois nem universitários costumam ser).
Tenho a mente aberta para saber de opiniões contrárias à minha e, ao contrário do autor do blog, não descarto a possibilidade de vir a mudar de opinião. Só ainda não ocorreu porque nunca me convenceram do contrário.
Por fim, acredito que os gêneros musicais com textos burros perderão até perder força a longuíssimo prazo. Mas jamais deixarão de existir. Pois sempre haverá (por decorrência de diversos motivos, além dos quais citei aqui) pessoas simples demais (que nem têm culpa de assim ser) para buscar textos que os levem a reflexões ou, ao menos, discernir o que é lixo comercial fonográfico e se recusar a consumir.

VMJ

Victor Teixeira disse...

Adoro sertanejo e outros gêneros românticos, mas você tem todo o direito de não gostar. Escolha sua! Mas você foi preconceituoso ao usar a expressão "repertório deselitizado", como se só as coisas feitas pela e para a elite fossem boas!

Victor Teixeira disse...

Visite meu blog http://victorteixeiracdf17.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

Até que enfim uma alma sensata .
Parabéns colega acadêmico. Palavras bem escolhidas para demonstrar o sentimento de milhares de pessoas, quiçá milhões. Sertanejo é uma porcaria .

Anônimo disse...

Pois eu digo que é de gente pequena sim , pois, quem ouve uma bosta dessas não tem o mínimo de senso crítico desenvolvido . Só Jean Piaget com sua teoria do desenvolvimento e pra explicar e Lacan pra reforçar. Existe terapia sabia Hina? Ah tem outra coisa para os que fazem do Facebook um alento a solidão com suas propagandas pessoais . Marketing do seu próprio corpo: toma Rivotril que melhora bastante . Uma consulta ao psicólogo tb ajuda. Sou Médico Cardiologista também formado em Letras/ Inglês com especialização em psicologia social . CRM 12532

Anônimo disse...

Parece até que fui eu quem escreveu esse texto.
Penso como você. E me abstenho de ir a locais onde sei que vou escutar essa coisa.

Anônimo disse...

Nossa, parabéns! Esse texto traduz meu sentimento atual por essa fase nojenta de " música" que estamos passando nesse maldito país. SEM MAIS!!! Também ODEIO essa falta de cultura, essas letras ridículas, que denigrem a imagem da mulher, da família, que tenta mostrar que trair é bonito é NORMAL! Haja paciência, estou tão revoltada com essa fase contaminada pela qual passamos, é triste.... Infelizmente julgo as pessoas pelo gosto musical.. julgo sim,, pq sou julgada também. Ass. Vanessa

Maria disse...

Amo MPB...Bossa Nova...fados...etc...gosto da boa música. ..e o autor foi maravilhoso! Texto pontual e corajoso! Explicou muito bem a diferença da música raíz...da viola caipira-Que eu admiro muito como Almir Sater, Renato Teixeira, Elpidio dos Santos, etc...-desse sertanejo lixo universitário. ..Fico extremamente entristecida com tanto escroto musical. ..Ainda mais neste país. ..com tanto talento...É por isso que não vou a baladas...música pra mim é sentimento...abstração. ..cultura. ...E...baladinha com essas musiquinhas....desrespeito. ..faz mal à saúde. ...física. ..mental e espiritual. ..Parabéns pelo texto!

Anônimo disse...

Me recuso a ouvir uma coisa dessas que uns acham que é música, é uma afronta com os verdadeiros músicos que existem no Brasil, estudam anos e anos pra fazer uma boa música, e uns e outros se dizem músicos com apenas uns dias de aula. Lamentável, isso diz muito da educação do Brasileiro, notadamente de baixa instrução, por isso esses lixos vendem bem, são pessoas de baixo estudo e altamente influenciáveis, infelizmente é a cara do Brasil, traduz o que é a maioria da população, dementes funcionais.

Anônimo disse...

PARABENS PELAS PALAVRAS AMIGAO, SERTANEJO UNIVERSITARIO E MESMO UM LIXO,UMA PRAGA QUE NAO DEVERIA EXISTIR.MALDITOS IDIOTAS QUE CHAMAM ISTO DE MUSICA,SAO TODOS DEFICIENTES MENTAIS.

walison disse...

WILLIAN,ADOREI O SEU TEXTO SOBRE ESTE LIXO CHAMADO SERTANEJO.Faço das suas palavras as minhas e vou mais além,quem gosta desta porcaria são pessoas IDIOTAS,DEMENTES E DESPROVIDAS DE INTELIGêNCIA.Parabéns pelo texto,curti pra valer.É UMA PENA QUE PESSOAS que pensam como nós SEJAM MINORIA NESTE PAíS QUE A MAIORIA SãO IMBECIS E IGNORANTES, A PONTO DE FAZER COM QUE ESSA MERDA DE GêNERO CHAMADO SERTANEJO UNIVERSITáRIO E FUNK VIRE "SUCESSO".

nelly 55555 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
nelly 55555 disse...

Eles fazem birra na hora de cantar,com aquela cara de choro,parece que tao morrendo ou com dor de barriga affs!

nelly 55555 disse...

Nao sei que graça tem ouvir essa merda,da ate vontade de chorar!

Anônimo disse...

William,

Particularmente acho que o problema nao esta nos estilos musicais e sim no modo como tem sido "conduzidos". Verdade seja dita, musica de conteudo e com profundidade nao interessa a pessoas que se preocupam apenas com o quesito diversao, principalmente se tratando da massa. Como acredito que voce conheca um pouco da historia dos ritmos musicais que temos hoje, deve entender que temos uma caracteristica muito peculiar de desenvolver novos ritmos com o que ja temos, e que todos sao influenciados no jazz, blues, alguns percursores latinos e ate mesmo a musica arabe que tem sua base presente em muitos ritmos que temos hoje aqui. Ou seja, identificamos os elementos musicais e personalizamos ao nosso modo. O problema das letras de hoje infelizmente, e naos dos ritmos, e a demanda de um conteudo de facil absorcao e de ritmo mais frenetico que enseje festa. As pessoas hoje se comportam cada vez mais como avarares desconexos de seus sentimentos e sensacoes e imersos na solidao da tecnologia do que como pessoas com um corpo e uma alma juntos, o que acaba tambem facilitando um pouco esse tipo de viralizacao. Enfim, esse foi so um compartilhamento de ideias para ajudar a refletirmos um pouco sobre esse assunto. Sucesso.

BRENDER disse...

Cara, sou seu fã! Odeio Sertanojo Universiotário!! Sou músico, Crítico, e vejo que estamos perdidos em relação ao atual momento da Música brasileira.

Anônimo disse...

Parabéns pelo seu texto falou tudo concordo plenamente contigo.